Ninja da fotografia


postado em por mallu


A paixão de meu avô Carlos por fotografia tinha tamanho misterioso quando eu era criança. Não vou falar dele hoje, porque foi recetemente que ele foi e não voltou de águas da pós-vida-de-agora, e tudo ainda está chacoalhado demais.

Mas mesmo tão recente, seu exuberante legado de alegria e amor pela vida me levou a pesquisar sobre câmeras fotográficas, para que eu pudesse entender como funcionam seus xodós ( as câmeras analógicas e altas geringonças digitais) que agora precisam ser alimentadas de luz e uso por nós, sua família.

No Youtube, o Sr. Sit Kong Sang dá uma aula absurdamente completa sobre o funcionamento das câmeras de fotografia e esclarece todos os desdobramentos da imagem. E tudo isso com uma fofura suprema, garantindo a doçura da didática.

Não pude deixar de dividir essa descoberta desse  privilágio de ser humano que é o Sr. Sit Kong Sang. É impossível não se apaixonar por fotografia.

 

 



Meu grande sonho


postado em por mallu


Tem sido difícil conter um grande sonho meu. Como o relógio biológico leva alguns a ter filhos, eu quero ter um sítio ( e filhos, claro, mas primeiro o sítio).

Chego a acumular detalhes, enfeites, acabamentos, móveis e jardins das revistas de arquitetura sonhando com um canto meu.

Chegamos perto disso aqui em casa, no Rio. Mas esse negócio de alugar não deixa as coisas serem definitivas. E tenho andado ardendo por certeza, segurança, estrutura, paz…

Ontem assisti à segunda parte do documentário “living in the material world”, sobre o George Harisson. Talvez pela minha extrema admiração por ele, me achei igualzinha!  Fora os míseros fatos de que eu não fui dos Beatles e não sou um gênio da guitarra, somos idênticos na paixão por jardinagem e gravação de áudio.

Outro sinal me veio sacudir pela tevê durante meu almoço. Uma reportagem na GloboNews sobre o palhaço Slava Polinin, e seu sítio. Apesar de não ter esse registro tão atual na internet, encontrei uma matéria equivalente.

 

Fui descobrir no seu site que sua ilha de felicidade tem nome de Academy of Fools e, uma das coisas que mais me ecantou além das tocas e cantinhos decorados, foi o templo budista  que seus amigos coreanos fizeram (veja essas e mais imagens na reportagem do site TodayOnline clicando aqui.)

 

É… eu chego lá!



Mais uma do Jumbo


postado em por mallu


Gradualmente, vou acertantando as teclas do piano a ponto de construir e conhecer uma canção pela partitura sem tê-la ouvido antes.

Pela manhã, escolhi no enorme calhamaço de partituras chamado “Jumbo – easy piano songbook”, uma música que ocupava apenas uma página, justamente pela preguiça de maiores esforços.

Considero hoje, um dia de sorte; fui mesmo feliz ao escolher e conhecer “Motherless Child”.

O usuário que disponibiliza o vídeo não facilitou para colocar o vídeo direto naquela janelinha no post. Mas CLIQUE AQUI E ASSISTA NO YOUTUBE  , que vale a pena…



Trampolim


postado em por mallu


A série Trampolim promove esse formato de show composto com entrevista e canções.  Trata-se de um encontro, aberto ao público, conduzido por Marcus Preto, jornalista e pesquisador de música.

Ele me conhece muito bem, por sermos mesmo amigos, o que intensifica o caráter intimista dessa situação, no Miranda, um teatro aconchegante e perfeito para tocar um som e conversar.

Já que para mim será uma agradável noite de divertimento, convido quem estiver pelo Rio de Janeiro para curtir também.

 

 

 



Banana Boat Song


postado em por mallu


Comprei um livro gigantesco de canções fáceis para piano… uma das primeiras composições que pratiquei foi uma tal de Banana Boat Song. Desconhecida para mim, ouvi a melodia aparecer do nada (do piano), e gostei dos intervalos e do balanço. Para conferir se eu havia acertado meu exercício auto-didata, recorri à gravação.

Procurando, três vídeos invadiram minha casa cobrindo com um bom sentimento até o chão frio de pedra e os focos de pó escondido que não consigo limpar.